O melhor de tudo é que não há cenas de sexo, e por isso um monte de gente acha muito mais “ok” do que filmes onde ninguém morre, só se agarra. Um bom exemplo é que ninguém reclama de Dexter, CSI e outras séries que mostram barbaridades toda semana (eu adoro, que fique claro) mas quando a Janet Jackson pagou peitinho (ainda por cima fora da validade) no Superbowl, tinha gente clamando o Fim dos Tempos.

Agora o FCC julgou (depois de anos) uma “violação” onde a série NYPD Blues (Nova York Contra o Crime, no Brasil) cometeu o TERRáVEL pecado de mostrar a bunda da Charlotte Ross, em um episódio.

A cena, se você quiser, está aqui. Aproveite, essa bunda custou para a emissora uma multa de US$1,4 milhões.

E não adianta dizer que é “moralismo babaca de americano”, como os cucarachos adoram. Aqui no Brasil sensual liberal sensacional fazemos a MESMA coisa. Lembram da mulher do diretor Flávia Alessandra?

Pois é. Não mostrou nada, nem uma bunda, mas as cenas de seu trabalho como stripper foram o bastante para que o Ministério Público Federal (que não deve ter nada mais o que fazer a não ser ver TV de forma crítica) exigisse mudanças na novela, ameaçando inclusive com uma reclassificação de horário, das 20h para as 22h.

Afinal ver a Flávia Alessandra em trajes sumários causará danos terríveis á  mente de nossas próprias crianças.

Já Rambo e Comando para Matar (a cena do topo da cabeça arrancado com uma serra circular é ótima) passam na Sessão da Tarde…

Leia Também: